Radioescutas e Radioamadores

Share on Facebook2Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page

Quando colaborava com o amigo Anderson na produção da coluna QSL, no tempo em que éramos editores da mesma, recebemos muitas cartas nas quais alguns sócios nos perguntavam sobre radiamadorismo no que tange as diferenças entre os dois hobbies. Aproveito o momento para esclarecer dúvidas sobre o assunto pois conheço bem os dois.

Muitas pessoas confundem os dois hobbies. Alguns ao verem na residência do radioescuta receptores, acopladores, filtros, fontes, oscilador ou outros equipamentos associam este ao radioamadorismo.

Um radioescuta de Belo Horizonte contou-me que há muitos anos, um vizinho encrenqueiro denunciou o mesmo ao antigo Dentel, (Departamento Nacional De Telecomunicações), como provocador de uma interferência na sua TV no horário noturno. Como as residências eram muito próximas o vizinho encrenqueiro de sua janela via o radioescuta à frente daquele montão de receptores e com aquele telhado coberto de antenas, com os mastros que as sustentavam pintados de vermelho e branco, não titubeou… “E ele mesmo que esta dando interferência na minha TV!” Ao fazer a fiscalização descobriu-se que interferência era oriunda de uma estação da faixa do cidadão, os chamados PX. Esta estacao estava também próxima a casa do reclamante.

Vamos fazer um paralelo entre as duas atividades para que assim não paire nenhuma dúvida sobre o que é um e o outro hobby.

Para ser radioescuta ou dexista basta primeiramente gostar de ouvir rádio, possuir um bom receptor e uma antena das mais simples. Para ser radioamador é necessário prestar um exame para a classe D,C ou B, que sao as as iniciais. Apos um ano poderá prestar exame para classe A. Terá de pagar a taxa de instalação, e o Fistel para receber a licença.

O radiescuta não é obrigado a registrar sua escutas. Já o amador tem que registrar seus comunicados pois assim esta especificado nos regulamentos.

A atividade do radioescuta não provoca interferência. Já os amadores quando transmitem com altas potências “podem” provocar interferências em outros equipamentos que não tenham blindagem contra interferências, ou quando não estão corretamente instalados. Nao porque queiram, mas porque nossos TVs, telefone-sem-fio, e muitos outros não tem proteção, e o amador acaba com a culpa.

Há bom tempo quando residia em outro bairro da cidade, um vizinho reclamou que me ouvia em sua TV quando eu transmitia, ao verificar sua antena, constatei que a mesma estava toda envolvida pôr um enorme pé de bucha e em cada elemento tinha uma enorme bucha dependurada, na realidade quem estava recebendo os sinais de TV da repetidora era o pé de bucha…

Para uma escuta razoável, com uma antena pequena, mesmo dentro de casa jah serve. Para o amador transmitir ele tem que estar com a antena bem ajustada sob pena de queimar o transmissor.

O amador pode transmitir em várias bandas e freqüências para o qual esta licenciado. Já o rádioescuta tem “quase” todo o espéctro radioelétrico a seu dispor, basta ter um bom receptor.

Os tranceptores de amadores em geral são mais caros do que os receptores de radioescuta, bem como suas antenas, que requerem ajustes das ondas estacionárias, o que não ocorre com as antenas só para escutas.

Uma coisa que observei, quando freqüentava o meio de radioamadores ou nos contatos que eu tinha com eles, era a constante insistência de alguns para que abandonasse a radioescuta e fosse transmitir. Mesmo sendo radioamador classe A, sempre me identificava como radioescuta e muitas vezes me sentia como peixe fora d’água. Tenho que ressalvar , que encontrei muitos amadores que me deram a maior força para continuar firme no meu hobby. Recentemente um amador disse-me: “Que graça vocês radioescutas acham em só escutar?” , “A mesma que você acha em só falar!”, respondi-lhe.

Fiz as comparações acima apenas mostrando meu ponto de vista. Não quero de maneira alguma dizer que sou dono da verdade, as relações com os amadores em outras regiões e lugares podem ser diferente. Embora tenhamos muito em comum, temos objetivos diferentes. Um gosta de falar, o outro gosta de ouvir. Um é papagaio, o outro é coruja. Os dois hobbies são fascinantes. Na minha juventude fui um incansável caçador de diplomas e figurinhas do radioamadorismo. Hoje me dedico muito mais ao meu hobby que alguns chamam de radioescuta, dexismo, ouvinte de rádio, escutador de rádio, coruja ou rádio ouvinte. Próximo de ser um cinqüentão gosto muito de adesivos, bandeirinhas e todos os souvenirs que as emissoras enviam aos ouvintes e que só sao acessíveis aos radioescutas ativos. O DXCB tem vários amadores que muito nos auxiliaram e continuam auxiliando. A eles o nosso reconhecimento e que continuem assim. Espero que com os meus comentários eu tenha esclarecido as dúvidas de alguns colegas.

Por Wilson Rodrigues

Iniciou seu gosto pelo rádio em 1957 quando a TV engatinhava no Brasil. Em 1992 conheceu o DXCB e desde então está no grupo interagindo com os amantes do rádio! No boletim Atividade DX, faz a coluna “Matutando!”, sempre com uma pitada de bom humor. Além disso, pesquisa e monta artesanalmente antenas para ondas médias de alto ganho!

3 comentários em “Radioescutas e Radioamadores”

  1. Russel disse:

    Muito bom. Vou estudar esse tema e quem sabe, após aprofundar nas informações de como ser um radioamador, participar desse intrigante mundo das comunicações. Foi muito esclarecedor ler esse tópico.

  2. Amarildo, a radioescuta é um hobby formidável quando bem praticado! Grato por se interessar pelo artigo! Oportunamente estaremos colocando outros aqui bem interessantes!

  3. Amarildo Bertini disse:

    Muito boa a materia.
    Sou Faixa cidadão PX2J5476, Radioamador PY2AJB e Radioescuta PY2168SWL.
    Curto demais ser Radioescuta e confesso que mais do que o Radioamadorismo.
    73`s

Deixe uma resposta