DX Bus

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page

dx busRecentemente nosso amigo Michel Viani, de Osasco SP, relatava-nos diariamente via celular, algumas escutas na banda de ondas curtas, bem interessantes! Estas escutas eram realizadas sempre de manhã e ao cair da tarde quando se deslocava de ônibus para o trabalho ou no retorno deste!
O hábito de ouvir rádio em veículos como o automóvel ou caminhão já é antigo e é um recurso para se inteirar de notícias em tempo real ou outra programação que torne a viagem mais tranquila!

Dentro de ônibus é bem possível vermos jovens com fones de ouvidos mas nem sempre isso significa que ele está ouvindo uma emissora de rádio, pois a quantidade de recursos onde se pode ouvir músicas já gravadas ao seu gosto como nos celulares e outros equipamentos modernos!
Diariamente Michel nos informava via WhatsApp sobre as estações ouvidas! Os fenômenos da propagação ao longo da viagem, os locais onde o sinal sumia, reaparecia, com riqueza de detalhes! Ao longo da semana nos informava o desaparecimento de uma emissora ou a escuta novamente de dita estação!

Ao longo destes relatos, passaram a ser discutido como era possível tais escutas uma vez que o ônibus parece comportar como uma gaiola de Faraday, mas como sabemos as ondas encontram sempre um caminho para chegar às nossas antenas!

O costume de ouvir rádio em ônibus é um hábito que eu cultivo desde longa data, como faço viagens regularmente para a capital paulista em ônibus, jamais deixo de levar um receptor portátil na bagagem, que em geral pode tornar mais confortável, para algumas pessoas a viagem em ônibus não muda a rotina de sono, pois dormem sem nenhum problema, o que não ocorre com muitos outros!

Ao longo dos anos fui observando a evolução nos novos ônibus e também o avanço nas interferências que as novas tecnologias vão gerando o que em alguns casos torna-se impossível ouvir alguma estação a não ser as de FM que não são atingidas por estes ruídos elétricos!

No caso de se ouvir emissoras de ondas médias, a melhor posição seria com o receptor colocado paralelo ao vidro, pois a medida que vamos com o receptor para o corredor do ônibus o sinal tende a desaparecer.

A maioria dos ônibus modernos hoje tem as janelas fixadas para não se abrir, por causa do ar condicionado, o que dificulta colocar algum pedaço de cabinho para fora da janela pra tentar ouvir alguma estação de ondas curtas!

A banda de FM também é interessante de se observar nestas viagens mais distantes, não no sentido de ouvir um programa ou música, mas sim, de ver em tempo real o entra e sai, o bailar das emissoras que vão se alternando ao longo da viagem! As vezes uma emissora desaparece e volta a ser captada 80 quilômetros adiante!

Tem um modelo de ônibus que entre o vidro lateral e a cortina, há um espaço como um coxinho que cabe um receptor portátil como o PL200, e outros do mesmo porte e ali fixado, não cairá por causa da cortina que o protege, ai colocamos na frequência como por exemplo, 860KHz CBN Rio – RJ e com o fone de ouvidos ajustado e confortavelmente sentado na poltrona reclinável posso ouvir esta emissora bem até o sul de Minas, sem retoques na sintonia pois a posição em que o rádio fica, sua antena de ferrite está no ponto de maior recepção da CBN, no sul de Minas mudamos para 780KHz e ai o sinal tende a ficar melhor a medida que entramos no estado de São Paulo!

Michel sempre comenta algumas peculiaridades nas suas escutas ao longo da via em direção ao trabalho como por exemplo a melhora brusca no sinal em ondas curtas ao passar sob um viaduto, tendo uma subida do sinal em bom nível! E o que provocaria isso?

Bem, deixo a cargo de cada um imaginar o que poderia estar acontecendo, paradigmas são quebrados diariamente!

Hoje o modelo de conduzir um carro difere muito do tempo antigo, onde estradas de terra, faziam os motoristas andarem muito lentamente, e os motoristas podiam interagir com o rádio mudando estações desviando parcialmente as atenções na via, o que hoje não ocorre mais! A velocidade é muito maior e exige muita atenção e um simples descuido pode provocar um acidente! No entanto os carros mais modernos já tem no volante teclas que fazem a mudança da estação, banda ou volume, o que facilita a vida do motorista! A grande quantidade de memórias também dão maior agilidade na procura da emissora preferida!

O rádio nos veículos ainda fazem sucesso pela interatividade com os viajantes, é muito comum ouvirmos motoristas no trânsito engarrafado entrar em contato com a emissora via voz ou mensagem de celular dando conta da situação, e com isso, outros motoristas ouvindo a mesma estação, procuram rotas alternativas pra sair do caos rodoviário!

Estando você dentro de um ônibus e o mesmo encontra um engarrafamento, e você não estiver com um rádio ou um livro pra se distrair, suas horas ali serão no mínimo entediante e torturante, a menos que você durma, o que nem sempre é possível.

Há muitos anos estando na rodoviária de São José dos Campos SP, consegui uma passagem para Minas as 19 horas e para mim estava tudo resolvido! A medida que o ônibus avançava no trecho percebi que ele ia em sentido diferente ao de Minas Gerais e só depois de 1 hora descobri que esta linha passava pelo Rio de Janeiro, por Juiz de Fora MG e seguia pra uma cidade da grande BH. Pelo cálculo do motorista chegaríamos na cidade final do trecho as 11horas do dia posterior – 16horas depois de nossa saída!

Para mim seria uma tortura ficar acordado no escuro dentro do veículo com tanto solavancos tanto tempo! Para minha sorte eu tinha um scanner muito bom no bolso e mais um conjunto de pilhas reservas, pois estes scanners em geral gastam muito as pilhas e eu já tinha me prevenido!

A vantagem do scanner é a gama de frequências que ele tem, e eu colocava ele para correr as frequências das bandas em geral e parava onde achava interessante! Como isso ocorreu há quase vinte anos, as bandas de estações utilitárias, broadcasting e outros serviços ainda estavam muito cheias e pude escolher o que ouvir! Na época eu fiz um artigo só sobre esta viagem, tantos foram os sinais interessantes ao longo das 16horas sobre rodas!
O ouvinte móvel, hoje em dia mudou muito, já usam dispositivos que tem uma quantidade enorme de gravações para que ele coloque por horas intermináveis e a sintonia de emissoras ficam de lado! Alguns reclamam da alternância de sinais na banda de FM, outros alegam os ruídos tradicionais em AM, há quem não suporte os programas de péssima qualidade verdadeiros jabás, sem contar o extremo avanço religioso que tomou conta das emissoras!

Mas mesmo assim o rádio ainda é um item interessante nos veículos, pois todas as fábricas entregam os carros já com um bom receptor de duas bandas AM e FM pois sabe que invariavelmente o motorista irá usar!

Iniciou seu gosto pelo rádio em 1957 quando a TV engatinhava no Brasil. Em 1992 conheceu o DXCB e desde então está no grupo interagindo com os amantes do rádio! No boletim Atividade DX, faz a coluna “Matutando!”, sempre com uma pitada de bom humor. Além disso, pesquisa e monta artesanalmente antenas para ondas médias de alto ganho!

Um comentário em “DX Bus”

  1. thgteixeira disse:

    No final de semana passado, feriado da semana santa, fiz uma experiência motivado por esse artigo. Saí de SP, de ônibus, rumo a São Pedro/SP em 3h30 de viagem. Levei meu GR 88 da Tecsun, simples, e mesmo assim consegui ouvir OC durante toda a viagem, encontrando diversas estações. Agora ando pensando em fazer uma antena com ventosas para essas situações! hehe

Deixe uma resposta